domingo, 4 de setembro de 2011

escapa - assíria

...e sua boca
é esta minha escrita
que se me escapa dos lábios
ardendo p'la ponta de meus olhos...

3 comentários:

  1. ...escrita ex-tensa esta a minha que me percorre sem descanso este meu sono em pedaços de sonho...

    Trago-te Beijos (Poeta)
    da
    Assiria

    ResponderExcluir
  2. Assíria, seja muito bem vinda poeta!

    ResponderExcluir
  3. tão verdade Ana...palavra que arde e nunca se consome de tanto arder...é assim toda a paixão que cabe não na ponta mas já no centro dos olhos, na (ex)tensa corda da alma..."dolor" de ser poema

    ResponderExcluir