segunda-feira, 24 de julho de 2017

teorema

palavra sem assunto
discurso de defunto
*
sábado sem alma
é domingo de trauma
*
não vou dormir no seu barulho
mas farei o meu com teu entulho
*
no dia do juízo final passo lá para te ver
serei aquele turista tirando fotos
*
teorema do erro para você resolver:
emular os vitoriosos é não querer que a brodagem vença?

quinta-feira, 20 de julho de 2017

números/cifras/consumo

perdendo nossas vidas
para ganhar a vida
perdendo tempo
para ganhar tempo
oh querida trindade
igualdade/fraternidade/liberdade
estás escondida na santíssima?
estás no tridente
daquele que trouxe a luz?
ou os trilhões
dos poucos donos do mercado
te transformaram em menos três
números/cifras/consumo?

sexta-feira, 14 de julho de 2017

delícia

no início era o verbo
depois do início o verso
depois vice-e-versa
sobre as delícias delicadas

quarta-feira, 28 de junho de 2017

pôrra

dia sim dia não
bate uma alegria
da pôrra

dia não dia sim
a pôrra da alegria
destoa

sábado, 10 de junho de 2017

raiva

agora
cachorro come cachorro
vira-lata
vira cão de caça
e morde
cão de raça
com muita
raiva

terça-feira, 30 de maio de 2017

beira


na beira do sofrimento
escorrego
ao invés de cair
nego
o tombo e a dor
do sorriso
do ego

quarta-feira, 24 de maio de 2017

dançando

é um corpo africano dançando com pernas latinas
ouvindo uma música com orelhas européias
vendo tudo com olhos asiáticos
num lamento do meio-oriente
o que pode cantar uma boca americana
e sentir um profundo coração humano

segunda-feira, 22 de maio de 2017

lápis

tem sempre
que haver um lápis
por perto
por certo
tem sempre
que haver um perto
do lápis

sábado, 13 de maio de 2017

dopaminas


*
o dia nunca desce
o dia vem
mas
a noite
desce e vem

*
todo mundo
até parece
tudo mudo

*
toda muda
até parece
tua miúda

*
foi um tombo
daqueles de bunda
em que nágua não afunda

*
cadê você que viajou
sem pára-quedas
sem passaporte
e que na lâmina
admira o corte?

*
quem alma
tem
tensa
tenta
ir com calma

*
quem na veia
o sangue corre
tem
o mesmo medo de barata

*
jogar pedras no rio
para assistir o salto

*
jogar futebol
só para fazer gol

*
jogar no gol
só para assistir
o jogo

*
sempre que a conversa
é interrompida
não adianta botar culpa
na dopamina

terça-feira, 9 de maio de 2017

outros

teu outro eu
que te fala
ganhou a batalha

meu outro seu
que te espalha
levantou a saia

terça-feira, 2 de maio de 2017

meia-hora

perdi meia-hora
avisem-na
digam-lhe
que tenho mais meia-hora
para numa hora dessas
passarmos
um tempo juntos

sexta-feira, 28 de abril de 2017

copyright

jogar conversa fora
com os amigos
deixar que a palavra
um pé na bunda
do copyright

quinta-feira, 27 de abril de 2017

sábado, 22 de abril de 2017

lida

colocamos mel nesta língua
a cantamos muito bem ainda
mesmo que a tal lida
não seja linda
somos quem faz do amargo
o doce da vida

sábado, 25 de março de 2017

meia-foda-inteira

ela é dez
para as duas 
ou
duas e dez
ele é cinco
para uma
ou
 onze e cinco
querem dar uma
à meia-noite
ou 
meio-dia
nem que seja
uma
meia-foda-inteira

quinta-feira, 23 de março de 2017

cortes

1
uma vez
não são vezes
só mais uma chance?
sem chance!

2
aqui entre os vivos
os mortos estão mais vivos

3
uma rotulada
na quina da cama
um pé de mesa
que ama teu dedinho
um aquiles
tensionando teu tendão
herói da dor

4
bípedes implumes
com coragem de esperar a morte
em pulsões selvagens
e intolerável intolerância
baseada na teoria da diferença
embriagados de sangue
tornando-se feras

5
os estrangeiros
não correm perigo
apenas peregrinam

6
indo pra puta
que paris
iluminar
a torre

7
quem ouviu o canto da sereia
no discurso daquele homem
no decurso morreu

8
indo pra nova ioga
meditar
a liberdade

9
andando atrás de questões
num jeito
de alcançar as respostas

sexta-feira, 3 de março de 2017

segunda chance

terça
daí
cai 
morre
enterra na
quarta
ao lado da
quinta
encostada na 
sexta
sem
sábado
domingo
nem
segunda
chance

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

chuva

quando ela cai no telhado
assim admiro o som da chuva
para ver
prefiro nas poças
que ela faz com os relevos
tenho receio quando vem com raios e trovões
mas encaro numa boa
quando ela é garoa
daquelas que davam em são paulo à toa
tem o chuvisco e tem o orvalho
que considero apenas
um gameta de chuva
respeito as gaivotas
que a anunciam quando ainda está seco
tem aquela que te dá na cara
é uma chuva rara
basta estar sem guarda chuva
tem aquela de granizo
tem chuva de facas
tem chuva de tiros
neste momento me retiro
ela também é tempestade
vendaval e furacão
essas chuvas matam até o cão
tem também os alagados
que embora o poema é para a água que cai
nunca vou me esquecer
desse lado
da chuva

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

disputa

disputa de cabeças rolando
disputa de cuspe à distância
disputa de bolsas de valores
disputa de punheta entre amigos
disputa de dor mais aguda
disputa de grito mais alto
disputa de arma mais letal
disputa de nacionalidades
disputa de peido mais fedido

desculpa obrigado muito obrigado de nada